4.

Apoio aos Pais

Família nuclear, isto é, o conjunto pai-mãe-filho, continua sendo o modo de organização social mais comum em nossa sociedade. Falar sobre este tema, não é somente falar da criança real, mas também da criança tal como ela existe no desejo e nas fantasias da mãe, do pai e do casal. O lugar que a criança ocupa em uma família provém ao mesmo tempo do imaginário parental (a criança que os pais tem em mente desde antes de sua concepção), mas também da maneira como a criança real se amolda a esse imaginário. Outro assunto importante, é a separação dos pais. Os efeitos dessa situação são variáveis em função da idade, da maturidade e da sensibilidade da criança, contudo, esse período é extremamente delicado e torna-se primordial um tempo de reorganização, já que a separação exige uma mudança na maneira de funcionamento das famílias. 

 

Falar sobre as expectativas, medos, frustrações e fantasias, é falar sobre o papel da importância que a "família" desempenha tanto no desenvolvimento normal quanto no aparecimento de condições psicopatológicas. 

 

Compreender melhor a recíproca influência das interações pais-filhos, é proporcionar a este ambiente, qualidade.